António José Ribeiro Saramago nasceu em Vila Nogueira de Azeitão a 27 de Março de 1948.

Desde muito cedo que demonstrou paixão pelo mundo do vinho, não sendo alheia a influência do seu pai, José Maria Saramago, adegueiro na empresa José Maria da Fonseca durante 42 anos.

Essa paixão leva-o a abandonar o curso industrial de mecânica e a ingressar, no ano de 1962, no laboratório da José Maria da Fonseca, pela mão do Engº António Porto Soares Franco, uma das referências da enologia portuguesa da altura.

Em 1973, passa a chefe de serviço do Departamento de Enologia da Empresa, tendo como consultor o Prof. Manuel Vieira, outro grande mestre da enologia nacional e docente no Instituto Superior de Agronomia.

Em 1974, parte para França, onde inicia a sua formação em Enologia, Viticultura, Conservação e Estabilização de Vinhos, na prestigiada Faculdade de Enologia da Université Victor Segalen – Bordeaux 2.

Em 1982, é convidado para enólogo responsável da Cooperativa Agrícola de Granja, onde tem um papel preponderante na modificação da estrutura da adega e do perfil dos vinhos, destacando-se os famosos “Garrafeira Granja/Amareleja” e “Terras do Suão”, galardoados a nível nacional e internacional.

Em 1991, fruto do seu sucesso com os vinhos da Granja, é convidado para trabalhar na Adega Cooperativa do Fundão. Aí, deixa também a sua marca, transformando os vinhos “Praça Velha” numa referência nacional.

Nesse mesmo ano inicia aquele que é, talvez, o seu projeto mais emblemático - Tapada de Coelheiros.

Ao desafio de Joaquim e Leonilde Silveira de criar uma empresa de referência no Alentejo, António Saramago respondeu com um conjunto de vinhos que, pela sua qualidade, se tornaram uma marca do próprio Alentejo.

É a partir deste momento que a sua carreira adquire maior reconhecimento mediático, quer na imprensa especializada, quer na própria enologia portuguesa, permitindo-lhe abraçar outros projectos em várias regiões do país.

Com mais de 200 prémios conquistados, muitos dos seus vinhos têm sido sobejamente apreciados pela imprensa nacional e internacional da especialidade, destacando-se nesta última Jancis Robinson e Robert Parker.

Considerando que “os grandes vinhos começam na vinha” e que “todo o seu sucesso resulta de um trabalho de equipa”, a sua versatilidade permitiu-lhe criar vinhos produzidos em regiões tão distintas como a Bairrada, Beira Interior, Ribatejo, Península de Setúbal e Alentejo, sendo por isso considerado como uma das referências da enologia portuguesa contemporânea.

No ano de 2000, associa-se a Joaquim Teixeira da Costa para criar o projeto Porto da Bouga Vinhos. Exclusiva do grupo Jerónimo Martins, nasce a marca Herdade do Porto da Bouga Reserva que, com o passar dos anos se posiciona como um dos vinhos mais vendidos pela cadeia Pingo Doce, especialmente devido à sua espetacular relação qualidade-preço.

Em 2002 cria a empresa António Saramago-Vinhos, juntamente com a sua esposa Ausenda e os seus dois filhos, Nuno e António.

Em 2008 é distinguido como “Enólogo do Ano” pela revista Néctar.

Em 2009, internacionaliza a sua carreira, levando para o Brasil toda a sua arte e conhecimento, através do projeto “Além Mar”, da Vinícola Villaggio Grando, no estado de Santa Catarina.

Em 2011 distingue-se como o melhor enólogo português no ranking “Top Winemaker” do concurso Wine Masters Challenge.

Em 2012 comemorou 50 anos de carreira.

É confrade membro da Confraria dos Enófilos do Alentejo e da Confraria dos Enófilos da Beira Interior.

É membro fundador da Associação Portuguesa de Enologia.